Conheça um novo estilo arquitetônico

O estilo de arquitetura moderna vem sendo influência em diversas áreas como, por exemplo, arte e design, e continua até os dias atuais.

É importante que se compreenda o conceito para entender diversas características arquitetônicas, podendo ser contemporâneas, históricas ou de décadas passadas.

Mas muitas pessoas não conhecem a diferença entre a arquitetura moderna e contemporâneo. A falta de conhecimento sobre a diferença pode estar ligada a palavra moderna que associa com tudo aquilo que é novo ou diferente.

Entretanto, o moderno é voltado para idealizações que vieram da Europa e se alastraram pelo mundo no período entre 1453, com Constantinopla sendo tomada pelos turcos otomanos até o início da Revolução Francesa. A partir dos anos 1789 até hoje, já é conhecido como Idade Contemporânea.

O estilo da arquitetura moderna visa privilegiar o que é simples, mas não de um modo tão simplório. Suas características se manifestam nas formas que geralmente são básicas e, na matéria-prima utilizada como, por exemplo, o aço, o vidro e o concreto aparente.

Hoje, pode-se citar uma grande variedade de características que marcam o estilo arquitetonico. De forma geral, esse modelo se preocupa com a forma e de como essas estruturas irão ser utilizadas na prática pelas pessoas. Um exemplo de arquitetura moderna no Brasil é o vão livre do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MASP).

Ele possui elementos recorrentes em obras modernistas. O museu valoriza no aspecto arquitetônico a integração das construções com a vida urbana e, ainda, funciona como um ponto de encontro para muitas pessoas.

Conheça um pouco sobre as coberturas curvas

Em geral, as coberturas são uma proteção contra as variações climáticas que podem trazer impactos nas edificações, por isso,  possuem isolamento térmico e acústico nos ambientes internos. Além dessas características, tem a função estética com harmonia nos projetos arquitetonicos da construção.

Para aplicar uma cobertura curva, faz-se necessário realizar cálculos estruturais, pois dessa forma garante-se mais segurança no que diz respeito a sua instalação.

Um exemplo dessa cobertura é a do Santuário Santa Paulina, na cidade catarinense de Nova Trento, que em sua construção simples, assegura um efeito estético bem impactante, pois as curvas das coberturas refletem as mãos unidas em oração.

A cobertura curva é uma opção ideal para grandes vãos, pois pode ampliar espaços e valorizar empreendimentos térreos. Outro exemplo é a cobertura curva da Oca projetada por Oscar Niemeyer no Parque do Ibirapuera em São Paulo.

Ela também é uma opção sustentável, pois sua curva pode captar água da chuva através de pequenas calhas que são colocadas na base das calhas maiores, pois o líquido passa pelas calhas e fica armazenada em cisternas subterrâneas para ser usadas para lavar pisos e irrigar jardins e outras tarefas.

Esse tipo de cobertura também contribui na ventilação da área interna. Para conseguir esse efeito, é preciso um estudo da incidência dos raios solares e dos ventos, assim, posiciona a cobertura de forma que capte o vento para realizar a refrigeração do ar interno.

Veja as vantagens do policarbonato

O policarbonato é um material muito solicitado para cobertura, inclusive para ambientes externos, pois pode oferecer uma grande variedade de vantagens ao consumidor.

Este material é considerado como um produto sustentável, pois possibilita a passagem de luz e diminui a iluminação artificial (lâmpadas).

Existem também alguns tipos de policarbonato com baixa absorção de calor, do qual reduz a temperatura interna das edificações.

Entre as vantagens mais comuns, é possível citar:

  • Resistente e transparência;
  • Fácil instalação e manipulação;
  • Tem aspecto estético;
  • Proteção contra raios UV;
  • Não espalha chamas em caso de incêndio.

Além dessas características, o policarbonato é um material muito leve e tal característica se deve as chapas de sua composição. O peso é o equivalente a metade de uma de vidro. Outra vantagem também é a possibilidade de ser instalado em estruturas de alumínio, aço ou madeira.

Trata-se de um material econômico, pois sua estrutura de suporte é menor que uma de vidro. o que resulta em custos inferiores com relação a manutenção.

Em outras palavras, o policarbonato é um material fácil de riscar, por isso, o indicado é limpá-lo sem usar produtos abrasivos à base de amoníaco, pois pode causar corrosão.

Use sempre sabão neutro e água, recursos suficientes para uma limpeza de qualidade. Para obter mais informações a respeito, basta contatar profissionais especializados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *