Planejando todos os processos de uma construção

Construir um edifício é uma tarefa extremamente complexa. Afinal, quem a realiza tem vidas em suas mãos, ou seja, qualquer erro de cálculo ou de projeto, por menor que seja, pode comprometer a segurança e a integridade de quem circulará pelo edifício depois que ele estiver pronto.

Por conta disso, é fundamental que toda a equipe faça o que estiver a seu alcance para garantir que os trabalhos transcorrerão sem sobressaltos ou erros.

Isso, felizmente, é relativamente simples, pois basta fazer um planejamento meticuloso de todas as etapas da obra, de modo que haja um roteiro pré estabelecido a ser seguido por todos os trabalhadores envolvidos.

Quer aprender mais a respeito do planejamento dos aspectos essenciais de uma obra? Então continue lendo e confira algumas dicas para planejar alguns deles.

  1. Análise de solo

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a análise de solos não é um procedimento usado apenas na agricultura, pois ela também é muito útil para a engenharia civil.

Afinal, as características do terreno sobre o qual será erguida uma obra são determinantes sobre a elaboração do projeto e as técnicas que serão usadas para tirá-lo do papel.

Deste modo, o objetivo deste estudo é traçar um perfil do solo, de maneira semelhante ao panorama que os médicos traçam a respeito do estado de saúde do paciente.

Fatores como pH, presença de rochas, existência e profundidade do lençol freático são algumas das variáveis analisadas pelos profissionais nesse procedimento.

O primeiro passo para planejá-lo é fazer uma pesquisa junto às empresas que prestam esse tipo de serviço. A análise de solo preço pode variar muito de uma empresa para a outra. Isso, contudo, não é o único fator importante, tendo em vista que é preciso analisar fatores como:

  • O prazo para o retorno das análises;

  • A tecnologia utilizada;

  • A qualificação da equipe que realizará o procedimento;

  • A satisfação de clientes anteriores.

Isso significa que o objetivo não deve ser contratar o serviço com o preço mais baixo possível, mas o que tiver a melhor relação custo-benefício.

  1. Compra de material de construção

Sem materiais para construção, uma obra simplesmente não poderá ser executada. Afinal, neste grupo se incluem itens como tijolos, cimento, tubos de metal, pisos, azulejos e muito mais.

Porém, comprar tais objetos sem critério algum tampouco é o ideal, pois é preciso que haja um planejamento de aquisições meticuloso. Do contrário, há o risco de que a quantidade adquirida não seja suficiente, seja excessiva ou, ainda, que os materiais não sejam de qualidade.

Para elaborar tal planejamento, a equipe responsável deve fazer uma análise detalhada do projeto, verificando o rendimento de cada material e fazendo os cálculos necessários para levantar a quantidade que será necessária.

É sempre importante incluir uma pequena brecha, ou seja, costuma haver perdas na hora de misturá-los e aplicá-los. Assim, caso essa margem não seja calculada, pode haver faltas.

Da mesma maneira, é preciso analisar o orçamento disponível para o projeto, de modo a adequar a comprar dele. Por mais que o valor não deva ser o único critério de escolha, é importante pesquisar a areia grossa preço, por exemplo, que pode variar muito de um estabelecimento para o outro.

Assim, fazer um levantamento dos valores praticados pode criar uma oportunidade para cortar custos, mas sem comprometer a qualidade da estrutura.

Por fim, é importante ter em mente que, quanto maior for o volume do pedido, maior a margem de negociação de preços.

Assim, pessoas envolvidas em projetos de grande porte devem aproveitar o poder de barganha que isso lhes confere para conseguir valores mais atrativos. Afinal, comprar um saco de areia não é o mesmo que comprar várias dezenas deles.

  1. Instalação da rede elétrica

Boa parte dos aparelhos usados pela população de forma corriqueira depende da alimentação proporcionada pela energia elétrica.

Isso é válido para tudo, desde um simples eletroportátil, como um smartphone, até sistemas complexos, de grande porte e que dão suporte para as atividades da organização, como as redes de computadores. Assim, instalações elétricas são consideradas itens de primeira necessidade em edifícios.

Por conta disso, sua implantação também exige um planejamento – na verdade, um projeto, assim como a estrutura e o posicionamento dos canos de transporte de água e de gás.

Para que ele seja bem sucedido, é preciso avaliar a estrutura geral do edifício, identificando os locais por onde a fiação pode passar, de modo a elaborar o Projeto de cabeamento estruturado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *