Quando o muro de arrimo é necessário?

É fato que desde quando as primeiras casas começaram a ser construídas, as pessoas buscam proteger a propriedade. 

A alvenaria evoluiu muito, com projetos estruturais, cálculos estruturais e outras alternativas para garantir a segurança da edificação. 

Mas, além disso, hoje em dia também existem alternativas que se encaixam em outras necessidades, como a proteção. 

O muro de arrimo é um ótimo exemplo. Mas, ainda que seja muito utilizado, muitos não sabem o que ele é de fato e quando deve ser aplicado. 

Então, para te ajudar, no post de hoje vamos justamente esclarecer essas dúvidas para você.

O que é o muro de arrimo?

Ele nada mais é do que uma estrutura mais forte, que é capaz de conter forças como barrancos e assim equilibrar a pressão de um terreno. 

O muro de arrimo é na verdade uma técnica que pensa na estabilidade que ele pode proporcionar, sendo conhecido também como muro de contenção e uma ferramenta de segurança para terrenos com inclinações.

O que o torna diferente dos muros comuns é a finalidade, sendo comumente usado para contenção em locais que possuem diferentes níveis. 

Em casas construídas próximas a morros, por exemplo, ele serve para promover estabilidade e impedir que haja um deslizamento de terra. 

Afinal, quando chove nessas regiões de desnível, ocorre um acúmulo de água, aumentando o peso e podendo causar um desabamento.

Em barrancos, por exemplo, o muro de arrimo oferece um sistema que drena a água existente ali para que a pressão seja estabilizada e mantenha a contenção.

Quando usar o muro de arrimo?

Esse tipo de barreira é necessário quando terrenos naturais foram nivelados para a construção de casas e prédios, apresentando assim terras mais altas. 

Elas exigem algo que impeça seu deslocamento e é aqui que entram os muros de arrimo, desempenhando a função de suportar a terra.

Como o muro de arrimo é feito?

Existem diversas formas e materiais para sua construção. Eles podem ser de concreto, cerâmica ou até mesmo de estrutura metálica, assim como pedras, solo-cimento e gabiões de pedra. 

Em relação à forma, ele pode ser inclinado, em patamar ou aliado à vegetação.

O profissional responsável deve então avaliar o local e realizar os cálculos considerando a força gerada pela água acumulada. 

Com isso, ele possui uma margem de segurança e garante maior eficácia da construção. Além disso, o muro deve contar com um sistema de drenagem para liberar água sempre que for necessário, seja na parte frontal ou eliminando-a pelas laterais. 

Retirar o máximo de água da parte de trás do muro é essencial para aliviar o peso. Sendo assim, independente da solução escolhida, ela deve ser pensada pelo engenheiro ou arquiteto responsável e não por outros profissionais.

Vale lembrar que a terra não pode entrar no sistema de drenagem, pois caso contrário impede a eliminação da água, causando instabilidade e prejudicando a eficácia do muro. 

Então, para evitar isso, é comum usar uma camada de brita para ficar entre o muro e a terra. Isso evita que a tração da água transporte pequenas partículas de terra para os drenos, impedindo que eles fiquem entupidos com o tempo e percam sua função.

Por fim, impermeabilizar a parte de trás do muro é essencial, principalmente se a frente estiver dentro da casa. Essa impermeabilidade fará com que a água atravesse o muro apenas pelos drenos, mantendo o outro lado seco.

Então, agora que você sabe mais sobre o muro de arrimo, já pode conversar com seu engenheiro ou arquiteto se ele será necessário em sua obra. 

Lembre-se de contratar profissionais especializados para que eles possam realizar os cálculos adequados, garantindo segurança e economia para toda a construção. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *